31/07/2013

Paciente com câncer precisa de cuidados orais especiais

É indicado procurar um cirurgião-dentista especialista em pacientes com necessidades especiais. Esse profissional pode dar tratamento mais adequado, combinado com o tratamento médico, além de interpretar as manifestações bucais com a doença

Pacientes com câncer de cabeça e pescoço necessitam de cuidados especiais quando se trata de saúde bucal. É indicado procurar um cirurgião-dentista especialista em pacientes com necessidades especiais. Esse profissional pode dar tratamento mais adequado, combinado com o tratamento médico, além de interpretar as manifestações bucais com a doença.

“Quem está em tratamento de câncer deve obrigatoriamente fazer acompanhamento odontológico e prevenção de cáries e infecções”, diz o oncologista Ricardo Caponero, da Clinonco. 

Segundo ele, caso o paciente esteja em tratamento odontológico, é preciso analisar com o oncologista se haverá interferência. “Isso é muito particular para cada caso, o ideal é que cirurgião-dentista e oncologista conversem diretamente”, afirma Caponero.

O oncologista quase sempre vai precisar de um hemograma recente com contagem de leucócitos e plaquetas antes de qualquer procedimento. Também não são recomendados procedimentos invasivos em pacientes leucopênicos – com redução de leucócitos no sangue – ou plaquetopênicos – com redução de plaquetas no sangue.

Já quem faz uso de remédios para evitar a perda de massa óssea não deve fazer extrações e procedimentos endodônticos, sob risco de aumentar a incidência de osteonecrose de mandíbula, quando os tecidos moles que recobrem os ossos da cavidade bucal são rompidos, deixando-os à mostra. 

Consequências para saúde bucal

A quimioterapia e a radioterapia podem causar xerostomia – conhecida como boca seca – que aumenta a incidência de cáries. A radiação também pode favorecer a osteorradionecrose, quando ocorre a morte de células do osso previamente irradiado com radiação ionizante.

O tratamento oncológico também pode causar ruptura das mucosas, infecções gengivais e alterações na composição da saliva que, eventualmente, pode deteriorar os dentes.

- Mucosite oral
- Xerostomia: "sensação de boca seca"
- Infecções oportunistas por fungos, bactérias ou vírus
- Aumento da ocorrência de cárie
- Alteração do paladar
- Trismo: dor na articulação da boca
- Osteonecrose (necrose do osso)
- Osteorradionecrose (morte de células do osso previamente irradiado com radiação ionizante)

Fique de olho

- Lesões que não cicatrizam
- Dificuldade para engolir
- Dor ao mastigar e dor de garganta persistente 
- Rouquidão
- Inchaço ou caroço na boca
- Presença de ‘bolinhas’
- Sensação de dormência na boca ou nos lábios 
- Dor de ouvido persistente de um lado só

Fonte: Terra